Por iniciativa do vereador Plínio Valério (PSDB), os 40 anos de fundação da Federação de Jiu-Jítsu do Amazonas será lembrada com uma Moção de Parabenização pela Câmara Municipal de Manaus (CMM), aprovada nesta quarta-feira (6). A Moção foi subscrita pelos vereadores Chico Preto (PMN), Rauzinho (DEM), Hiram Nicolau (PSD) e Dante (PSDB).

De acordo com Plínio Valério, a Federação foi criada para alavancar o Jiu-jítsu no Estado, realizar eventos, federar atletas e academias e profissionalizar o esporte. Foi a segunda a ser implantada no Brasil.

No Amazonas, o jiu-jítsu foi fundado por Rayson Gracie, atualmente faixa vermelha de 9º grau, maior graduação mundial. Sua relação com Manaus começou em 1976, a convite do então diplomata Arthur Neto, quando, então, foi fundada a primeira academia de jiu-jítsu no Amazonas.

“O jiu-jítsu tem um enfoque pedagógico-educacional voltado para a infância e a adolescência, visando à formação da personalidade e caráter do indivíduo, inclusive na complementação do ensino escolar”, justificou Plínio Valério.

Para Chico Preto é uma justa homenagem parabenizar os 40 anos da Federação, entidade que vem revelando talentos e esportistas das artes marciais.

Hiram Nicolau argumentou, na ocasião, que o Amazonas precisa valorizar os lutadores. “O Amazonas é um celeiro não só de lutadores de jiu-jítsu. Precisa incentivar os seus atletas”, completou lembrando que os empresários precisam apoiar os talentos amazonenses.

Antes, no pequeno expediente, a luta marcial já tinha sido lembrada pelo vereador Proença (PR), que da tribuna fez um desagravo ao lutador amazonense de MMA, José Aldo, que após nova derrota por nocaute para Max Holloway, no UFC 218, vem sendo alvo de ofensas nas redes sociais. “José Aldo é um desportista amazonense do qual devemos ter orgulho. É um amazonense de trajetória brilhante no esporte amazonense. Também escrevemos nossa trajetória com derrotas. Elas fazem parte do esporte”, argumentou o vereador.

 

Texto: Nely Pedroso – DIRCOM/CMM

Foto: Robervaldo Rocha - Dircom/CMM


Não serão postados comentários com ofensas a pessoas ou instituições, sejam elas de natureza pública ou privada. Também não serão aceitos textos ofensivos, de caráter comercial, com palavrões e termos chulos ou que façam propaganda de candidatos. Os comentários postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores.

Comentários

Deixe uma resposta

  • (não será publicado)