O presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador Wilker Barreto (PHS), e o presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargador Yedo Simões, realizaram no final da manhã desta quarta-feira (8), a renovação da assinatura do termo de cooperação técnica, onde a Casa Legislativa vai ceder 10 servidores e dois veículos para o Poder Judiciário. A parceria visa fortalecer os trabalhos feitos pelas Varas dos Juizados Especializados no Combate à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher.

“O importante é que a Câmara é solidária às ações do Tribunal de Justiça no enfrentamento ao combate à violência contra a mulher, no que eu entendo como uma vergonha para a sociedade brasileira, em especial a nossa. A Câmara é parceira e estamos renovando o nosso primeiro termo aditivo e cedemos dois veículos para que o Tribunal e as Varas possam notificar os agressores que insistem em cometer crimes contra a mulher”, declarou o presidente da CMM.

Recém-empossado presidente do Tribunal, Yedo Simões destacou a sensibilidade da Casa Legislativa em fazer frente com o Poder Judiciário na busca do apoio à população.

“Estamos renovando a parceria e isso reforça as varas ‘Maria da Penha’ que fazem um trabalho magnífico de conscientização com a sociedade. Essa parceria abre um espaço para que também a sociedade e os órgãos privados se engajem nessa campanha. Todos nós devemos estar juntos nessa parceria e, como sempre, a Câmara Municipal de Manaus mostra interesse em fazer com que o Poder Judiciário fique mais próximo de todos. Parabéns à Casa Legislativa, ao presidente Wilker Barreto, que sempre mostra sensibilidade com a nossa sociedade”, afirmou.

Aumento da violência

Em Manaus, o número de casos de violência doméstica tem aumentado. Somente em 2018 são registrados aproximadamente 1.400 casos por mês, um aumento de 27%.

“O Tribunal está fazendo a sua parte, tanto é que fomos reconhecidos nacionalmente no combate a violência doméstica e familiar. Em Manaus, os números de casos são de aproximadamente 1.400 por mês. Embora a demanda tenha aumentado, as medidas protetivas estão sendo feitas todos os dias. Significa também que as mulheres agredidas estão acreditando no nosso trabalho. A parceria com a Câmara só fortalece esse trabalho”, comentou a coordenadora do Comitê Estadual de Mulheres em Situação de Risco do TJAM, desembargadora Carla Reis.

 

 

 

 

 

Texto: Anderson Silva – Dircom/CMM

Foto: Djalson Leão-Dircom/CMM


Não serão postados comentários com ofensas a pessoas ou instituições, sejam elas de natureza pública ou privada. Também não serão aceitos textos ofensivos, de caráter comercial, com palavrões e termos chulos ou que façam propaganda de candidatos. Os comentários postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores.

Comentários

Deixe uma resposta

  • (não será publicado)