skip to Main Content
Dia Da Síndrome De Down é Marcado Com Audiência Pública Na Câmara

Dia da Síndrome de Down é marcado com audiência pública na Câmara

Dia da Sàndrome de Down é marcado com audiência pública na Câmara

A Câmara Municipal de Manaus (CMM) comemorou nesta quarta-feira (21), o Dia da Sàndrome de Down com a realização de audiência pública da Comissão de Saúde e apoio do vereador Álvaro Campelo (PP), autor de requerimento para a ação, que discutiu polàticas públicas e outras providências às pessoas com a sàndrome na cidade de Manaus. “O resultado desta audiência foi muito além do esperado”, comemorou o parlamentar.

Segundo Álvaro Campelo, “este encontro nos mostrou que o deficiente não precisa de compaixão, mas, respeito para alcançar grandes objetivos. Provou que o portador da Sàndrome de Down é capaz de desempenhar qualquer função na vida cotidiana, e nos trouxe também o desabafo de membros da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), ao mostrar a realidade que enfrenta a instituição para se manter de pé”, disse o vereador.

Para o parlamentar, audiência pública enriqueceu a todos com os temas abordados para renovar e continuar a luta. Como presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Autismo na Câmara Municipal de Manaus, Álvaro abraça também a causa da Sàndrome de Down, mais uma bandeira para continuar fazendo com que os direitos de todos sejam efetivados.

As vereadoras Joana D’arc Protetora dos Animais (PR) e Professora Therezinha Ruiz (DEM), juntamente com a vereadora Vanessa Gonçalves, de Parintins prestigiaram o evento.

Participaram também da Audiência Pública o presidente da Associação de Pais e Amigos do Down no Amazonas (Apadam), Omar Santos; o advogado Wilkens Figueiredo, representando a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB Seccional Amazonas); a sra. Daniela Nunes, pela Secretaria Estadual de Assistência Social e Cidadania (Seas);  Engrócia Castro, pela Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), Angela Maria Castro, pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa); Egley Nascimento, da  Secretaria Municipal de Educação (Semed); Elisangela Farias, pelo Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conede-AM) e Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Manaus (Apae);  e Priscila Andrade, da Fundação de Apoio as Instituições de Proteção a Pessoa Portadora de Deficiência (Fada).

Durante o evento, um grupo de dança formado por crianças com Sàndrome de Down se apresentou ao encerramento do encontro e surpreendeu pelo desempenho, arrancando aplausos.

 

Sobre a sàndrome

 

A Sàndrome de Down não é uma doença, mas uma mutação do material genético humano, presente em todas as raças. Os motivos para ocorrência ainda são desconhecidos, mas o que se sabe é que começa na gestação, quando as células do embrião são formadas em 47 cromossomos, sendo que o normal seria 46 cromossomos.

A falta de efetivas polàticas públicas para as pessoas com a Sàndrome de Down em Manaus, faz com que sequer sejam efetivamente conhecidos os números de deficientes. Aproximadamente estima-se que existam 200 mil pessoas com a sàndrome em todo o Estado do Amazonas.

Data

No dia 21 de março é celebrado o Dia Internacional da Sàndrome de Down, descoberta em 1862 pelo médico britânico John Langdon Down. Trata-se de uma alteração genética no cromossomo “21”, que deve ser formado por um par, mas no caso das pessoas com a sàndrome, aparece com “3” exemplares (trissomia). Daà a idéia de definir a data de 21/3 como dia internacional, referendada pela Organização das Nações Unidas em seu calendório oficial e oficialmente estabelecida em 2006.

 

 


Back To Top