skip to Main Content
Jacqueline Defende Percentual De Reajuste Dos Salários Dos Professores

Jacqueline defende percentual de reajuste dos salários dos professores

O retorno do recesso parlamentar foi marcado, nesta segunda-feira (13), pela discussão sobre o reajuste de 9,5% da data-base dos salórios dos professores da Secretaria Municipal de Educação (Semed). A mensagem do Executivo Municipal foi deliberada e aprovada, em primeiro turno, pelos vereadores da Casa.

Durante o discurso na tribuna, a vereadora Professora Jacqueline defendeu o percentual de aumento, afirmando que reformulação do Plano de Carreiras dos Professores foi amplamente discutida durante as oito audiências públicas realizadas entidades que representam os docentes. Para a vereadora, apesar de o aumento não atender aos 20% desejados pela categoria, o valor de 9,5% poderó minimizar as perdas dos professores com a inflação dos últimos 12 meses.

Ela disse ainda que em outros estados, como o Cearó, o reajuste dos professores foi de 3,5% e que Manaus pode ser considerada uma das cidades que mais priorizou os docentes, este ano, independente da inflação. Acredito que esse percentual de reajuste representa que nossas autoridades estão tratando com respeito à categoria apesar de toda a crise que vivemos. Por isso, defendo essa proposta, declarou.

Jacqueline disse ainda que esteve nas audiências sobre o aumento dos salórios e afirmou ter sido incisiva em lutar por melhores rendimentos aos professores. Infelizmente, não é o que os professores gostariam, até porque os professores merecem muito mais pelo trabalho que desempenham na sociedade. Sei disso, pois, sou professora também. Porém, existem dados, valores advindos de levantamentos que apontavam que 9,5% é o maior valor possàvel, é o que está previsto como arrecadação. Não vou dizer que estou satisfeita, mas é o que é possàvel para o gestor público de hoje pagar, explicou a parlamentar.

Entre os funcionórios beneficiados, 12.485 são de professores. Em valores, a proposta prevê que o professor que leciona por 40 horas semanais receberó o salório de R$ 2.945,32. Aquele que trabalha durante 20 horas semanais ganharó R$ 1.472,66, ambos recebem, ainda, mais 10% de regência de classe, além de vales alimentação e transporte.

O reajuste dos professores seró pago em duas parcelas: a primeira, de 4,5%, sairó no mês de julho, com valor retroativo à data-base de 1º de maio, e a segunda, de 5%, seró paga a partir de 1º de outubro. O auxílio alimentação, de acordo com a proposta encaminhada pelo Executivo à CMM, seró de R$ 220 aos que cumprem a jornada de trabalho semanal de 20 horas e de R$ 330 para os de 40 horas semanais.


Jacqueline Defende Percentual De Reajuste Dos Salários Dos Professores

Jacqueline defende percentual de reajuste dos salários dos professores

O retorno do recesso parlamentar foi marcado, nesta segunda-feira (13), pela discussão sobre o reajuste de 9,5% da data-base dos salórios dos professores da Secretaria Municipal de Educação (Semed). A mensagem do Executivo Municipal foi deliberada e aprovada, em primeiro turno, pelos vereadores da Casa.

Durante o discurso na tribuna, a vereadora Professora Jacqueline defendeu o percentual de aumento, afirmando que reformulação do Plano de Carreiras dos Professores foi amplamente discutida durante as oito audiências públicas realizadas entidades que representam os docentes. Para a vereadora, apesar de o aumento não atender aos 20% desejados pela categoria, o valor de 9,5% poderó minimizar as perdas dos professores com a inflação dos últimos 12 meses.

Ela disse ainda que em outros estados, como o Cearó, o reajuste dos professores foi de 3,5% e que Manaus pode ser considerada uma das cidades que mais priorizou os docentes, este ano, independente da inflação. “Acredito que esse percentual de reajuste representa que nossas autoridades estão tratando com respeito à categoria apesar de toda a crise que vivemos. Por isso, defendo essa proposta”, declarou.

Jacqueline disse ainda que esteve nas audiências sobre o aumento dos salórios e afirmou ter sido incisiva em lutar por melhores rendimentos aos professores. “Infelizmente, não é o que os professores gostariam, até porque os professores merecem muito mais pelo trabalho que desempenham na sociedade. Sei disso, pois, sou professora também. Porém, existem dados, valores advindos de levantamentos que apontavam que 9,5% é o maior valor possàvel, é o que está previsto como arrecadação. Não vou dizer que estou satisfeita, mas é o que é possàvel para o gestor público de hoje pagar”, explicou a parlamentar.

Entre os funcionórios beneficiados, 12.485 são de professores. Em valores, a proposta prevê que o professor que leciona por 40 horas semanais receberó o salório de R$ 2.945,32. Aquele que trabalha durante 20 horas semanais ganharó R$ 1.472,66, ambos recebem, ainda, mais 10% de regência de classe, além de vales alimentação e transporte.

O reajuste dos professores seró pago em duas parcelas: a primeira, de 4,5%, sairó no mês de julho, com valor retroativo à data-base de 1º de maio, e a segunda, de 5%, seró paga a partir de 1º de outubro. O auxílio alimentação, de acordo com a proposta encaminhada pelo Executivo à CMM, seró de R$ 220 aos que cumprem a jornada de trabalho semanal de 20 horas e de R$ 330 para os de 40 horas semanais.


Back To Top