O prédio da Câmara Municipal de Manaus (CMM) recebeu iluminação especial em apoio ao Outubro Rosa, movimento mundial de combate ao câncer de mama. Servidores do órgão também reforçam o movimento com enfeites de laços e flores na cor rosa, simbolizando o apoio às mulheres e a prevenção da doença.

O Departamento de Serviço Social decorou a porta do setor com uma árvore de flores em dois tons de rosa, representando o florescer da vida e da esperança, segundo a assistente social Maria do Carmo Silva. “Todas nós precisamos incentivar a prevenção do câncer de mama e uterino, os que mais matam nossas mulheres. O incentivo do autoexame também é importante na prevenção”, disse Maria do Carmo.

O Cerimonial da CMM, um dos departamentos com maior número de mulheres, demonstrou apoio com lindas rosas decorativas na porta de entrada, simbolizando que a mulher precisa ser tratada como uma flor, mas que precisa também despertar para a prevenção do câncer de mama, como disse a diretora do departamento, Ieda Frota.

 “Todos os dias é dia de prevenção. O Outubro Rosa veio para reforçar e lembrar que as mulheres precisam dessa consciência e mais informação sobre a doença”, observou.

Aceitação e ajuda

Seja qual for o tipo de câncer diagnosticado já é motivo de tristeza, desespero e até mesmo depressão para qualquer mulher. Nesse momento, o apoio familiar é importante, como observa a psicóloga da Casa Legislativa, Elenice Rocha.

De acordo com Elenice, o acompanhamento psicológico e a boa acolhida ajudam a paciente na aceitação da doença, o que já é um bom começo para o tratamento, porém, para a maioria, o diagnóstico é inaceitável e doloroso. Nesses casos, segundo ela, as pacientes ficam debilitadas e depressivas, retardando o efeito dos remédios para o tratamento.

Sobre a campanha

A campanha ocorre anualmente, com o objetivo de compartilhar informações sobre o câncer de mama. As ações promovem a conscientização sobre a doença, além de proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade.

O movimento também busca fortalecer as recomendações do Ministério da Saúde para o rastreamento e o diagnóstico precoce do câncer de mama e desmistificar conceitos em relação à doença, além de enfatizar a importância de a mulher conhecer suas mamas e ficar atenta a alterações suspeitas.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), em 2018, 59.700 mulheres terão algum tipo de contato com este tipo de câncer, o segundo mais recorrente entre as mulheres no país.

O Amazonas é o estado com mais incidência de câncer de colo de útero, segundo o Inca. São 37 casos a cada 100 mil mulheres, de acordo com a estimativa para 2016 e 2017.

 

Texto: Valdete Araújo – Dircom/CMM

Foto: Robervaldo Rocha - Dircom/CMM


Não serão postados comentários com ofensas a pessoas ou instituições, sejam elas de natureza pública ou privada. Também não serão aceitos textos ofensivos, de caráter comercial, com palavrões e termos chulos ou que façam propaganda de candidatos. Os comentários postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores.

Comentários

Deixe uma resposta

  • (não será publicado)