Vereador Wallace Oliveira (PODE) voltou a criticar a falta de medicamentos necessários para o tratamento de pacientes da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), durante pronunciamento na tribuna da Câmara Municipal de Manaus (CMM).

“Estou aqui nessa tribuna para abordar, mais uma vez, sobre a situação preocupante e caótica da Fundação Cecon em relação à falta de medicamentos para os pacientes que estão ali internados, e que necessitam diariamente”, criticou o parlamentar, ao chamar atenção das mídias jornalísticas para o caso.

“Eu gostaria de saber o que é preciso fazer para que essa mesma grande repercussão ocorra sobre as pessoas que estão morrendo nos corredores da Fundação Cecon. Sei de pessoas que estão tendo que comprar os medicamentos para que o familiar não pereça ali dentro”, enfatizou com veemência Wallace Oliveira.

O vereador afirmou que devemos tratar esse assunto com urgência e responsabilidade que merece. “Temos que entender e olhar para essa situação com a responsabilidade e seriedade que exige. São vidas humanas que estão lá morrendo, não tendo a oportunidade de pelo menos tomar um medicamento”, completou o vereador, ao observar que já enviou requerimento à Secretaria de Estado de Saúde (Susam) e as respostas enviadas pelo órgão foram evasivas, sem solução objetiva.

O parlamentar solicitou à mídia e aos profissionais de Jornalismo que repercutam o cenário atual da Fundação. “Conclamo à imprensa em geral que falem sobre essas vidas, que estão sendo perdidas dentro da Fundação por falta da continuidade do uso dos medicamentos. Isso deve nos incomodar sim, e verdadeiramente causa-nos revolta, pois estou falando de vidas sendo ceifadas por não ter a chance de receber o medicamento”, desabafou Wallace.

 

Texto: Assessoria do Vereador Wallace Oliveira

Foto: Robervaldo Rocha - Dircom/CMM


Não serão postados comentários com ofensas a pessoas ou instituições, sejam elas de natureza pública ou privada. Também não serão aceitos textos ofensivos, de caráter comercial, com palavrões e termos chulos ou que façam propaganda de candidatos. Os comentários postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores.

Comentários

Deixe uma resposta

  • (não será publicado)