Início / Notícias / Diretores da CMM avaliam primeiro mês de funcionamento do registro de ponto eletrônico

Diretores da CMM avaliam primeiro mês de funcionamento do registro de ponto eletrônico

Agora integrado à Diretoria Administrativa e Gestão de Pessoas, sistema garante mais agilidade e segurança ao controle de frequência dos servidores

Em reunião realizada nesta quinta-feira (29/02), diretores, coordenadores e gerentes da Câmara Municipal de Manaus (CMM) avaliaram o primeiro mês de funcionamento do novo sistema de ponto eletrônico. Implementado em fevereiro deste ano, por determinação do presidente da Casa Legislativa, vereador Caio André (Podemos), o controle digital de frequência por reconhecimento facial tem como objetivo garantir modernização e transparência.

A Diretoria de Gestão da Tecnologia da Informação (DGTI) da CMM ressaltou que o sistema não é passível de fraudes, e que neste primeiro mês não foram encontradas falhas nos registros de frequência, atestando a segurança do sistema.

“O ponto eletrônico foi uma exigência do presidente Caio André para gerar mais segurança e transparência dentro do parlamento. E nesse primeiro mês não tivemos nenhuma intercorrência, apenas algumas dúvidas por parte dos servidores, já que é algo novo que está sendo implementado aqui na Casa”, afirmou o diretor da DGTI, Zuleinilson Portela, ressaltando que todas as dúvidas foram sanadas.

O ponto eletrônico, agora conectado à Diretoria Administrativa e Gestão de Pessoas, possibilita agilidade ao fechamento da folha dos servidores. O que precisava ser feito manualmente, agora pode ser executado em poucos minutos, de forma eletrônica.

Os servidores da CMM começaram a registrar o ponto de forma eletrônica no dia 1º de fevereiro. Feito de maneira individual e intransferível, o registro é realizado no início da jornada diária e ao término do trabalho.

Todos os servidores da Casa, tanto estatutários quanto comissionados, deverão registrar o ponto eletrônico facial, que até então era feito manualmente, com sistema de assinatura. A instalação do ponto é uma demanda antiga de servidores do parlamento e da sociedade manauara, que esperam mais transparência nos atos de seus funcionários públicos.

Foto: Mauro Pereira – Dicom/CMM

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on print
Share on telegram